sábado, 9 de março de 2013

Ter um Sádhana diário só depende de ti

Por diversas vezes ter um propósito que não possa facilmente ser impedido por factores exteriores já me salvou o dia. Digamos que se for dia de tempestade e o teu propósito for escrever um romance, vais-te safar melhor do que se quiseres aprender a manobrar um papagaio de vento.

Ainda assim há quem goste de correr contra a maré e decida enfrentar ardua e virilmente todos os elementos adversos. Claro que tudo tem um preço, e a bravura desmedida também se paga!...

Eu por mim tento sempre adaptar o meu Sádhana (termo sânscrito para prática) ao dia que me espera, e aproveitar as circunstâncias para criar o ambiente propício a certas actividades.


Omkara
Recentemente, na semana de 4 de Março deu-se início a uma semana de greves sobrepostas de tudo o que era meio de transporte. Dias daqueles em que não se pode contar com nada mais a não ser viajar enlatado e apanhar uma chuvada por dia, no mínimo.

Não se combina nada porque não se vai chegar a horas, espera-se chegar ao trabalho, eventualmente, mas não se sabe quando.

Nestes dias tento sempre que tal como em todos os outros nada perturbe a minha paz, coisa que depende única e exclusivamente de mim, e para tal concentro-me no meu sádhana.

Uma das melhores formas de enfrentar um ambiente adverso é ter um Sádhana compatível com as circunstâncias, por exemplo, do curso de formação para instrutores de Yoga, tínhamos trazido um trabalho que consistia na prática do Omkara (traçado do OM), que me pareceu directamente compatível com muitas horas de espera e conveniente para evitar conversas negativas de quem anda farto das greves (ninguém conversa com alguém que escreve a mesma coisa repetidamente por tempo indefinido).

Então decidi por em prática este Sádhana, e fiquei feliz por tê-lo feito. Folhinhas e folinhas do meu caderno cheias de OM :) O tempo de espera pelos transportes passou a ter sentido e objectivo, e o meu estado de espírito não foi influenciado pelo momento e pelas greves mas sim pela prática que estava a desenvolver.

Sem comentários:

Enviar um comentário