terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Mais tempo e inspiração para desenhar em 2013

Calculo que foi resolução de ano novo 2013 para algumas pessoas desenhar mais, ou desenhar todos os dias, ou comprometer-se com um Diário Gráfico. Às vezes a dificuldade está em saber o que desenhar...

Depois de ver os meus Diários Gráficos observados por várias pessoas e ouvir vários tipos de crítica de várias pessoas, passei algum tempo a pensar que todos os meus trabalhos deveriam ser obras de arte.

Mais tarde, ouvindo a minha própria crítica interior apercebi-me que neste ou naquele dia não tinha desenhado por não ter tempo suficiente, acabando por ocupar aqueles cicnco minutos do café matinal a ler o jornal do dia ou a dar uma espreitadela naquele site azul e branco (tipo WC?), já que cinco minutos não chegam para fazer algo que as outras pessoas gostarão de elogiar.

Então posso dizer que agora cada desenho meu é só para mim. O meu Diário Gráfico é como o prolongamento da casa que eu habito, o local onde eu posso fazer tudo o que quiser. E é assim que ele faz sentido.

Mas ainda assim, há alturas em que tenho cinco minutos que não aproveito porque não tenho ideias, ou não sei o que seria mais proveitoso trabalhar em cinco minutos, que poderia melhor a minha técnica de desenho.

Tenho lido sobre isto em vários livros e artigos e chego a uma conclusão bastante minimalista: não importa nada! Desenhar é cumulativo, seja o que for que eu desenho, estarei a aumentar a minha linguagem visual. Posso desenhar a jarra do hall de entrada do consultório de dentista, um monte de círculos, formas orgânicas ao acaso, perspectiva, figuras geométricas, rabiscos, tudo, tudo vai para o mesmo sítio.

O mais importante é saber usar o tempo, não o deixar escapar. Nos transportes, em tempos de espera, ao telefone... Se o Diário Gráfico não estiver mesmo ali à mão, haverá de certeza post-it, guardanapos ou um bloco de apontamentos, as calças do pijama, tudo vale!

As figuras mais básicas como o círculo integrarão o teu vocabulário de formas rapidamente se desenhares vários círculos de várias dimensões, e afinal, quantas coisas no mundo são compostas apenas por círculos? É algo que vale a pena dominar!

Depois também tentar a esfera, para que os teu projectos tenham um aspecto mais 3D. O quadrado, o rectângulo, o cubo e o paralelipipedo. Não, isto não é uma aula de geometria, mas todos os artistas o dizem, sempre que não tens tempo para tudo, ou sentes um bloqueio para desenhar, o mais importante é voltar aos básicos!

E básicos não significa fáceis, ou para iniciantes, básicos significa o mais importante, o mais sólido, e que não deves esquecer mesmo quando já sentes que os dominas.

Observa a geometria à tua volta, desenha o que vês, em perspectiva. É um excelente exercício fazer com que aquela cadeira que está atrás da mesa não pareça empilhada em cima da mesa, ou um prolongamento da mesma. Desenhar aquilo que vês, é um dos melhores exercícios de realismo.

Os teus estudos e esboços podem ser rabiscados e pouco precisos, mas é isso mesmo que são os esboços. E o que interessa é fazer mais e mais. Cada minuto passado a desenhar o que quer que seja melhora as tuas qualidades!

Sem comentários:

Enviar um comentário