sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Oh what a dark place you're in my friend - explora a criatividade nos teus "baixos"

Ver o Cloud Atlas fez-me pensar no tempo e nas consequências das acções, no que adiamos com a desculpa de que há tempo ou de que não temos tempo, que na verdade são a mesma desculpa: não tenho tempo agora mas há tempo no futuro para isto, como se o futuro fosse uma conta bancária onde já contamos com o que não sabemos se temos.

Leprechaun
Está aceite, a vida tem baixos e baixos e às vezes saber em qual deles estamos no presente é apenas estimar a realidade, mas quando olhas em retrospectiva sabes distinguir lindamente os momentos altos e baixos da tua vida. Outras alturas há em que sabes no presente, ou julgas que sabes que aquele é um ponto baixo da tua existência.

Queres sair, fugir, acabar ou começar, queres mover-te desse ponto e pareces estagnado ali, num momento em que não queres estar.

A realidade é tua e faz parte de ti, e fazer outra realidade está directamente ligado a mudanças pessoais que operas na tua vida.

Tenho ouvido dizer por vezes, "estou numa fase má", ou "ando um bocado em baixo", ou "gostava mas agora não consigo", e todas estas frases são usadas para não criar, para não fazer arte, para não ser aquilo que tu és mais no teu ítimo e não te deixares levar pelo que naturalmente te puxa.

Todos os artistas têm fases conflituosas, e estas fazes não vão deixar de existir. Pensar no futuro e idealizar o momento perfeito em que vais criar e fazer e acontecer não serve para mais do que idealizar um tempo que não existe. True true!

E para quem quer  saber mais sobre a história do filme
O importante é abraçar o momento. Qual momento? O único que existe: agora. Não és o teu passado, não és o teu futuro, és o teu agora, e ter um calendário afixado na parede não te mostra que há tempo no futuro, mostra-te que a mente é tão pequena que até uma impressão de quadrados com números te faz adiar o teu ímpeto de criação.

Então abraça o agora.

E como ser criativo agora, que estás num momento menos bom por qualquer razão? Ser criativo é trabalhar todos esses sentimentos, é deixar-te sentir o que tu sentes e criar, desenvolver a partir do ponto em que estás.

E se os teus sentimentos não são bonitos, e se a tua arte é um dark place, continua nesse registo até encontrares outro. Porquê criar apenas o que é lindo e maravilhoso se a vida tem altos e baixos? Para quê fingir para criar? Não há nenhuma razão.

A arte desperta emoções e a tua despertará e muitas pessoas emoções diferentes, para uns boas, para outros más, mas a análise é para os críticos e pseudo-intelectuais, a ti basta-te apenas criar e viver. E se alguém próximo de ti perguntar "aquele monstro feio sou eu?" bem...podes responder com outra pergunta "o que achas?", mas se as pessoas próximas de ti fazem este tipo de pergunta, oh what a dark place you're in my friend!...

Explora a criatividade do teu dark place, e essa não será mais a tua lembrança de um momento baixo, e sim de uma das épocas mais produtivas e criativas da tua vida!

Sem comentários:

Enviar um comentário