quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Dicas para um site de Artista com retorno

Visito imensos sites e blogs de artistas, e penso muitas vezes escrever sobre isto, não que eu pense que ninguém escreveu, mas talvez a minha visão seja diferente de muitas outras.

Se és artista, visual, músico, escritor, se fazes chapéus, ou qualquer outra criação artística, e tens um site ou um blog, provavelmente, queres um retorno. Por retorno eu não quero dizer €uros, vendas ou algo do género. Retorno é aquilo que tu defines e procuras obter com a existência desse espaço online. O retorno pode ser para ti, 1000 visitas por mês, pode ser um novo cliente por dia que compra o teu trabalho, pode ser 10000 amigos no Facebook em 2013.

O retorno é uma meta, inserida num espaço temporal, e que de alguma forma possa ser medida.

Para pôr em prática o plano de um website de artista, é preciso pensar em três factores-chave: 1)fácil de encontrar; 2)fácil de navegar; 3)fácil de lembrar!


1) Website fácil de encontrar - se eu estou à procura de Artistas em Cascais, e tu és um artista plástico, e vives em Cascais, o teu site deve ser fácil de encontrar para mim quando eu procuro estas palavras na net. Se és músico, e eu quero ouvir música, então quando procuro por exemplo rock contemporâneo português, deverei encontrar o teu site também. Se apenas colocas imagens, tenta ponderar a hipótese de escrever algo sobre o teu trabalho.

Muitas vezes, os artistas visuais sentem um bloqueio muito grande ao tentar escrever, eu própria o sinto muitas vezes, e nessas alturas, o melhor é escrever da mesma forma que contarias a um amigo ou alguém próximo de onde surgiu aquele trabalho, como surgiu? Para onde gostarias que ele fosse depois de terminado? Em que emoção te toca essa peça?

Hoje em dia há muita gente na net, por isso procura o que te distingue, não tentes competir com os gigantes, tu és único e original, deixa-te evidenciar pela diferença! ;)

Um website é 100% mutável, se mudas de área, de ideias ou de orientação, podes sempre demonstrá-lo e gradualmente re-orientar o teu site. É importante que não tenhas um site chamado pintura-impressionista-chiado, e estejas a viver no Iémen, a vender o teu ultimo documentário sobre o rato anão da pradaria, convém reajustar minimamente as coisas.


2) Website fácil de navegar - talvez gostes imenso do ultimo CD de José Cid, ou talvez sejas membro de vinte blogs e comunidades artísticas na web, mas isso não são coisas para expôr na tua barra de navegação lateral. O utilizador do teu site quer sentir-se bem vindo, encontrar rapidamente os cantos à casa, e ficar por ali um pouco, se for bom, se não for, hasta la vista!

Evidencia as várias páginas do site, o utilizador está habituado a encontrar uma barra de navegação por baixo do título do blog, ou por cima, se o título não estiver inserido num header muito grande.
Na barra lateral, esquerda ou direita, costumam estar links secundários para tudo o que é importante sobre ti e sobre o teu trabalho. É um bom local para colocar eventos em que participas ou que organizas, como concertos, festivais, exposições, cooperativas, espaços de venda e divulgação, etc

Não poluas esta barra com mil contadores de visitantes por país e idioma e dez players de música que por azar em alguns browsers começam a tocar as músicas todas ao mesmo tempo, mais duas animações com widgets de não-sei-quê e um slideshow da ultima vez que foste para a night e tiraste fotos, ou do teu gato a saltar de cinquenta maneiras diferentes. Se estas coisas são importantes, escreve sobre elas no conteúdo do site e mostra aí as fotos, deixa a barra lateral para o utilizador, para orientação e navegação.

Aljustrel - no baixo alentejo, se fores para a rua com um click
contar quantas pessoas passam, o click enferruja!
Não coloques música com player automático, caso coloques música, faz com que só comece se o utilizador carregar no player, visita o post para mais detalhes sobre colocar música no teu site.

Opta por um design clean, sobretudo se és artista visual, ou as fotos dos teus trabalhos não se vão evidenciar, imagina, se passares de turbante pelo metro do Chiado, as pessoas vão reparar, mas se passares de turbante na rua principal da minha terra no Alentejo, aí sim, juro-te que vais ser famoso por um dia!
Não queiras que o teu site seja como o metro do Chiado.

3)Website fácil de lembrar - convém que o site tenha um nome fácil de decorar, mas pode até nem ser o caso e mesmo assim não cair no esquecimento, mas como?

Dá todas as alternativas ao teu utilizador para se manter em contacto contigo e retomar o contacto em qualquer altura: facebook, twitter, google plus, subscrição por email, por feed, guardar o site nos favoritos, link para os teus pontos de venda/exposição e tudo mais que te consigas lembrar! Assina os teus emails com o endereço do teu site e faz com que este endereço acompanhe sempre toda a informação sobre ti, sobretudo profissional.

Se não és amante de redes sociais, e aparecer é um frete, relacciona-te no meio, de certeza que fazes parte de algum fórum, ou comunidade, coloca o teu link na tua assinatura automática.

Não tentes aderir a redes sociais só para ir lá cuspir o teu link, não conquistarás muitos simpatizantes assim, ou faz parte de ti e sabes conviver e relaccionar-te autenticamente nesse meio, ou então movimenta-te nos meios que te agradam. Se conheces muitas pessoas faz um cartão que tenha o teu endereço e dá a todas as pessoas, se és adepto do telemóvel envia sms para amigos e conhecidos quando há novidades, coloca o link na sms, hoje em dia meio mundo usa smartphones!

Antigamente havia na web a expressão o conteúdo é rei. Hoje acredita-se que o utilizador é rei! Trata o teu site como se fosse um bom bar, onde o utilizador se sente bem e tem vontade de ficar um pouco.

Não deixes de ter uma presença online por não saberes bem como fazê-lo, começa já e vai reajustando tudo com o tempo, nada é permanente, usa isso a teu favor!

Sem comentários:

Enviar um comentário